DSC_2638-2

Não há nenhuma regra específica para esta resposta. No caso de treinarmos o local correto para fazer os seus dejetos, precisamos obviamente de ter em consideração a idade dele. Um cachorro necessita muita mais de ir à rua defecar e urinar que um cão adulto. Pela minha experiência, se não queremos dejetos em nossa casa, devemos ir com um cão bebé, pelo menos 4 a 5 vezes a dia à rua. Com um cão adulto o ideal seria 3 vezes.

À parte desta situação, para mim um cão deve passear muito e estar em contacto com os mais variadíssimos estímulos. Sei que nem sempre temos a possibilidade de estarmos acompanhados com o nosso amigo de quatro patas, mas passeie o maior tempo que conseguir. Durante os passeios proporcione-lhe momentos para gastar energia. Gaste essa energia em treino e em brincadeiras consigo e também com outros cães. O exercício físico ajuda a resolver e a evitar muitos dos problemas comportamentais.

O cão necessita passear não só apenas por questões físicas, mas também psíquicas e sensoriais. Os estímulos sensoriais e o exercício físico vão permitir uma estabilidade emocional e psicológica que o mantêm equilibrado e mais controlado dentro e fora de casa. Mesmo na rua, quando em contacto com outros cães, será muito mais sociável se tiver o hábito de passear e de ir vendo todos os dias outros cães.

A duração do passeio vai, também,  depender se ele brincou com outros cães, se está demasiado calor, se faz muitos ou poucos passeios diariamente, se pelo menos num dos passeios diários ele gasta muita energia, se demora muito a fazer os seus dejetos, se é um com alto ou baixo nível de energia, entre outros. Uma coisa é certa, por hábito, o passeio nunca deverá ser apenas levar o cão à rua para que ele possa fazer as suas necessidades.

Não posso atribuir um verdadeiro número de minutos para falar sobre a duração de um passeio. Há donos que adoram passear com o seu cão e constroem uma simbiose maravilhosa. Partilham momentos únicos de cumplicidade e de amizade. A verdadeira resposta é o “sentir” e juntar isso às necessidades fisiológicas, psíquicas e físicas do nosso cão.

Partilhar...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn